Teimosia de alguns beltronenses pode ser letal aos mais vulneráveis.

Por João Fruhauf Machado 24/03/2020 - 22:02 hs
Foto: Folha
Teimosia de alguns beltronenses pode ser letal aos mais vulneráveis.
Imagem Ilustrativa

Teimosia de alguns beltronenses pode ser letal aos mais vulneráveis.

Em meio à grave crise propiciada pelo novo coronavírus, muitas pessoas têm sido vistas circulando nas ruas de Francisco Beltrão, por vezes passeando sem qualquer emergência que justifique, em outros casos até se aglomerando em churrascos e encontros públicos. Existem também nas redes sociais, algumas denúncias de que serviços não essenciais estariam abertos, contrariando o decreto municipal de Cleber Fontana.

Levados a crer que são imunes por não serem idosos, alguns beltronenses agem como se não tivessem parentes ou amigos nessa faixa de idade, esquecem também dos imunodeprimidos e das pessoas com doenças crônicas. Para piorar, tem sido exposto pela mídia internacional, de que a taxa de letalidade nos jovens e adultos pode até ser menor, mas em muitos casos é necessária intubação. Ocupando as últimas vagas em hospitais, jovens e adultos têm prioridade, um protocolo que deixa os mais velhos à própria sorte, ou em outras palavras, entregues à morte.

A curva de afetados pelo coronavírus tem se acentuado e crescido em proporção geométrica no Brasil, logo, não haverá leitos disponíveis a todos àqueles que precisam de tratamentos mais intensivos. Não podemos esquecer de que acidentes continuarão ocorrendo, cirurgias emergenciais também precisarão ser feitas, entre outros. Deixaremos essas pessoas de lado por falta de leitos, decorrente do descuido frente ao novo coronavírus de alguns?

Hoje, o presidente da República mais uma vez falou bobagem, chamou a COVID-19 de gripezinha e resfriadinho, pediu ainda para a população voltar a trabalhar. Um encorajamento desnecessário àqueles que já não dão a mínima aos seus próximos.

A 8ª Regional de Francisco Beltrão atende 27 municípios com milhares de habitantes. Não há UTI suficiente para todos ao mesmo tempo, não há respiradores para todos ao mesmo tempo, é difícil entender isto? Se não nos isolarmos e tomarmos os devidos cuidados, uma tragédia sem antecedentes pode acontecer em nossa região. Cuide-se e cuide de quem você ama.

Por: Professor João Fruhauf  Machado/ Mestre em Geografia pela Unioeste.

Texto de opinião.